design-thinking
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Design Thinking + Ágil: Uma combinação poderosa

Desde o seu nascimento, a dti já tinha o agilismo como pilar para sua atuação. Nossa crença nos princípios do manifesto ágil e práticas ágeis determina não apenas nossa metodologia para desenvolvimento de produtos digitais, mas também a forma como nos organizamos como empresa.

Ao longo dos anos, na nossa busca por gerar cada vez mais valor para os nossos clientes, percebemos que era necessário complementar nossa abordagem com uma metodologia que nos permitisse planejar e criar experiências incríveis para os usuários dos produtos que construímos.

De fato, o mercado como um todo começou a perceber nos últimos anos a importância da adoção de uma abordagem customer-centric para criação de produtos e serviços. Na era da Transformação Digital e de principios do manifesto ágil, o consumidor tem mais acesso à informação e vive em um cenário de abundância de escolhas e, portanto, é muito mais exigente e empoderado. Entregar um produto que funciona tecnicamente não é mais suficiente – é necessário oferecer  experiências memoráveis.

Nesse contexto, a dti ganhou um novo pilar fundamental para sua atuação: o Design Thinking.

O que é design thinking e para que serve?

Talvez seja mais importante começar descrevendo o que ele não é: uma receita de bolo. Na verdade, o Design Thinking nos oferece uma base metodológica e uma ampla caixa de ferramentas que podem ser combinadas e adaptadas para diversos cenários.

Existem no mercado alguns frameworks famosos de aplicação da metodologia, como o Design Sprint, que oferece uma sequência sugerida de atividades e ferramentas. Esses frameworks podem ser bastante úteis como ponto de partida e inspiração, porém encará-los como uma receita pronta para qualquer cenário significa subutilizar todo o potencial do Design Thinking.

É justamente essa possibilidade de adaptação da metodologia que combinou tão bem com a cultura de agilidade da dti! Ainda que a essência utilizada seja a mesma, para cada novo desafio nós avaliamos quais ferramentas e etapas são as mais adequadas para o contexto.

A essência da metodologia de Design Thinking consiste em adotar um processo que parte inicialmente da exploração e entendimento de problemas e dores existentes, para depois levantar possíveis hipóteses soluções que serão validadas com as pessoas impactadas através de protótipos que permitam aprender rapidamente. Existem alguns livros de Design Thinking que são referências para entender mais sobre o assunto!

Um diagrama que ilustra bem a metodologia é o Double Diamond criado pelo Design Council. Nele podemos ver como momentos de divergência e convergência devem ser intercalados, favorecendo o pensamento criativo e a inovação.

Double-Diamond
Double-Diamond

Design Flow: triple diamond

Aqui na dti, nós nos inspiramos no Double Diamond e criamos nosso próprio framework para aplicação do Design Thinking que possui não apenas dois, mas três diamantes!  

 

 triple Diamond design.
triple Diamond design.

Cada diamante representa um momento distinto do nosso processo:

Problem Discovery: Fase em que fazemos uma imersão para compreender quais problemas precisamos solucionar e quem são as pessoas impactadas

Product Discovery: Fase destinada a elaborar de forma colaborativa um produto que enderece os problemas priorizados anteriormente

Product Delivery: Fase onde construímos e entregamos o produto e coletamos resultados e aprendizados

Cada diamante é subdividido em etapas menores que representam objetivos intermediários. Para cada uma dessas etapas, temos um toolkit de ferramentas sugeridas para orientar os nossos times.

Como dito anteriormente, nossa intenção ao construir esse framework não é a de estabelecer um roteiro único que todos os times devem seguir, pois sabemos que tal prescrição não é possível. Nosso objetivo é, na verdade, criar uma referência comum para os nossos times de como a metodologia de Design Thinking pode ser utilizada na prática e inspira-los a adapta-la de acordo com seu contexto.

Buscamos assim incentivar uma cultura em que as pessoas não são apaixonadas pela solução e sim pelos problemas. Uma cultura de investigação e empatia, na qual o cliente está sempre no centro do processo e existe uma verdadeira obsessão em buscar novas oportunidades para tornar a vida das pessoas melhores.

Times que conseguem utilizar a metodologia de Design Thinking aliada a um formato de trabalho ágil são capazes de criar produtos que geram valor real para os usuários e para o negócio. É crucial que o time tenha uma cultura de entregas incrementais em ciclos curtos, pois cada nova entrega representa uma nova chance de aprendizado, que por sua vez, alimenta novamente o ciclo do Design Thinking.

A combinação do agilismo e do Design Thinking é realmente poderosa, tanto que hoje vemos os dois pilares como inseparáveis para nossa atuação! Então Design Thinking livro e materiais ricos ajudam nessa descoberta!

Design Thinking livro

Atenção: Design Thinking não é só para designers!

O nome Design Thinking pode dar a impressão errônea de que essa é uma metodologia utilizada apenas por designers quando na verdade ela exige multidisciplinariedade e se torna mais rica quando temos pontos de vista diferentes.

Na dti temos cerca de 100 designers de produtos que utilizam a metodologia como base para o seu trabalho e são grandes evangelistas da abordagem. Porém, acreditamos que essa metodologia deve ser de domínio de todo os papéis e por isso incentivamos que todos os crafters conheçam e utilizem o Design Thinking no seu dia a dia. Do RH ao financeiro, todos podem se beneficiar da metodologia para descoberta e resolução de problemas.

Design Thinking livro

Uma das principais formas de aprender sobre Design Thinking e sua aplicação teórica, é por meio de estudos. Você pode estudar com livros que falam sobre Design Thinking de maneira clara e direta, como o clássico da área “Design Thinking – Uma Metodologia Poderosa Para Decretar o Fim Das Velhas Ideias”, de Tim Brown. Nele, Brown afirma que não há uma maneira boa e única para finzalizar um processo, e que existe um ponto de partida e um ponto de referência útil, mas a sequência diz mais sobre o que necessita ser preenchido.

Outra leitura indispensável sobre o tema deste artigo é “A Jornada do Design Thinking”, uma colaboração entre três autores referências em Design Thinking: Michael Lewrick, Patrick Link e Larry Leifer. O livro apresenta uma abordagem mais técninca e prática de como usar o Design Thinking. Ele mostra como usar ferramentas e métodos ágeis no ambiente certo, especialmente em produtos  digitais.

Para que o todo potencial do Design Thinking seja aproveitado por uma organização, ele deve fazer parte da cultura da empresa. A liderança cumpre um papel crucial e deve estar preocupada em criar condições para que a metodologia possa ser amplamente explorada e evoluída, cultivando um ambiente que favoreça a experimentação e o aprendizado contínuo.

Uma organização que busca triunfar na era da Transformação Digital deve adotar uma abordagem customer-centric e o Design Thinking pode ser um grande aliado nessa trajetória! Quer fazer parte de um time que aplica os princípios do manifesto ágil na prática? Confira nossa página de vagas e se inscreva na que mais tem a ver com você e venha ser dti!

 

Preencha seus dados para receber nossa newsletter!

Ficou com dúvidas?

contato@dtidigital.com.br
R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010

Cuidado

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para analisar sua experiência no site e personalizar conteúdos e anúncios durante sua navegação. Ao navegar pelo site, você autoriza a DTI Digital a realizar tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.

You will be redirected to spotify