Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

SoundCloud
Spotify
iTunes
Marcelo Szuster: Bom dia. Boa tarde. Boa noite. Vamos começar mais episódio dos Agilistas. Hoje eu estou aqui com o Vinição. Tudo bom, Vinição?Vinícius: Tudo bem, pessoal?Marcelo Szuster: E hoje nós estamos aqui com o Leandro Vieira, como sempre eu vou pedir para ele se apresentar, ele tem uma história muito interessante para contar para a gente mostrando como é que se cria um negócio digital, mostrando também incursões no mundo analógico que foram difíceis e não deram tão certo. Então nós vamos entender mais detalhes disso daqui a pouquinho. Então se apresente aí, por favor. Leandro, obrigado por participar aqui do programa.Leandro Vieira: Marcelo, muito obrigado. É um prazer aqui conversar com a tua audiência. Vinícius, tudo bem também, Vinícius?Vinícius: Tudo bom? Beleza.Leandro Vieira: Joia. É um prazer estar por aqui, pessoal. Eu sou fundador e CEO do Administradores.com, é um site na área de negócios e está posicionado hoje aí entre acho que os três principais players no Brasil nessa área. A gente tem também um podcast, somos vizinhos aqui de podcast, é o Café com Adm. E, enfim, aí vamos compartilhar a história de como que surgiu o Administradores, já é uma história aí de 20 anos, a gente está completando 20 anos e 20 anos aí eu estou falando de quase metade da minha vida, eu estou com 42, então quase metade da vida aí dedicado a esse negócio.Marcelo Szuster: Que bacana. Para quem não conhece então explica o que é o Administradores.com.Leandro Vieira: Bom, o Administradores.com é um portal colaborativo na área de negócios, nós temos uma redação própria que produz ali conteúdos todos os dias e a gente tem também a participação dos membros da comunidade que também contribuem com os seus próprios artigos. Então assim, qualquer um que tiver nos ouvindo e quiser, “Eu quero publicar artigo nos administradores”, é só entrar lá gratuitamente, abrir uma conta e passar a publicar. A gente tem uma audiência aí que beira entre quatro até 6 milhões de visitas por mês no site, e a gente está bastante espalhado também nas redes sociais, Instagram aí já está chegando em 1 milhão de seguidores, Facebook mais de dois milhões, e o Café com ADM também que tem uma audiência semanal aí em torno de 400 a 500 mil downloads por episódio.Marcelo Szuster: Olha, muito relevante então.Vinícius: Bacana.Marcelo Szuster: Você consegue mobilizar muita gente. Mas você disse que isso começou a 20 anos atrás?Leandro Vieira: 20 anos atrás.Marcelo Szuster: É impressionante, foi na primeira época lá do .com então?Leandro Vieira: É, foi exatamente na época da quebradeira das empresas .com no mundo inteiro no ano 2000.Vinícius: É um sobrevivente aí.Leandro Vieira: Na verdade nessa época aí eu estava na faculdade, então assim, eu peguei muito aquele começo da internet para brincar, para conversar em bate papo, Mirk, que foi uma febre nessa época aí. E quando eu estava estudando administração, num determinado dia aí do ano 2000 eu tive a ideia de criar esse site na área de administração porque um professor ele queria compartilhar um arquivo eletrônico com a turma e naquela época isso era uma verdadeira revolução, “Ué, como é que é?”, porque naquela época a gente estava acostumado a tirar cópias do material de estudo e tudo mais, e nenhum professor utilizava isso, acho que nem existia o formato PDF ainda, nem sei. Enfim, mas ele queria compartilhar um arquivo com a turma e aí ele disse: “Bom, para vocês terem acesso a esse arquivo basta vocês entrarem na minha conta do e-mail, do Bol, a minha senha é tal e vai estar lá esse arquivo para vocês baixarem”. E aí naquela hora eu estava lá, sentava atrás assim, ficava me balançando na cadeira, na parede, e eu pensei: “Mas que negócio mais amador, esse cara dá o próprio e-mail dele para a turma baixar um arquivo, ele poderia ter um site em que ele botasse lá os arquivos que ele quer disponibilizar para download, poderia ter artigos, arquivos, enfim” e eu pensei assim: “Eu posso fazer esse site para ele”. Naquela época eu gostava de mexer naquele programinha da Microsoft, o FrontPage, não sei se vocês lembram disso aí.Marcelo Szuster: FrontPage. Sim.Vinícius: Sim, sim, com certeza.Leandro Vieira: E aí eu posso fazer um site para esse cara e aí eu fiquei pensando: “Bom, mas se eu faço para ele eu posso simplesmente replicar para os outros professores, não é?”, aí eu disse: “Bom, mas se eu faço para os outros professores da faculdade eu posso fazer logo para o Brasil inteiro”, aí puf, aí que me deu esse estalo, não é? Aí eu saí correndo para casa e tal, aí comecei a ver lá como é que registrava domínio na internet, não sabia nada disso, não é? Aí achei lá o site do Registro BR e, enfim, aí comecei a procurar nomes assim, aquela coisa bem brainstorming, e aí quando veio administradores.com.br estava disponível, eu disse: “Porra, é esse”, aí bateu. Aí pronto, aí fui fazer, era um bom estudante de administração, aí fui logo fazer um plano de negócio, aquela coisa toda para botar essa ideia de pé. Só que é isso aí que eu falei para vocês, era época da quebradeira das .com, a internet no Brasil era uma coisa muito insipiente ainda, a gente tinha, pelo menos onde eu moro e moro até hoje, aqui em João Pessoa na Paraíba, a gente não tinha empresas profissionais de desenvolvimento e eu não tinha, o meu conhecimento era aquele básico ali do FrontPage, não podia tem me meter, nunca fui programador, nem designer, nem nada. Mas aí acabei encontrando uma empresa de uns amigos da internet mesmo e os caras me prometeram ali, viram o meu projeto “Bom, em três meses a gente faz esse site aqui”, eu disse: “Que legal”. E eu caprichei, sabe aquela coisa que no papel tu tem todas… as ideias a gente coloca no papel não tem limite, não é? Então tinha conceitos de rede social, de…Marcelo Szuster: Olha só.Leandro Vieira: …Esse compartilhamento de arquivos, não sei o que, era uma coisa bem louca, bem complexa e esses caras me prometeram em três meses e me cobraram na época acho que 5 mil reais.Marcelo Szuster: Que seria quanto hoje em dia?Leandro Vieira: Eu nem sei, cara, eu nem sei, tem que botar na… deve ter algum site aí para calcular qual que seria o valor hoje depois de 20 anos.Marcelo Szuster: Você vendeu um carro, alguma coisa para fazer isso ou não?Leandro Vieira: Era o seguinte, eu era estagiário na empresa dos meus pais, estagiário, aquela coisa assim, só que eu assinava como gerente de marketing, tinha lá, o meu cartão de visita era gerente de marketing e eu tinha lá uma bolsa ali, alguma mesada ali que eles me davam e eu peguei todas as economias que eu tinha ali e coloquei nesse negócio. Aí, enfim, mas eu já tinha cheque e tal, aí deu um cheque a vista, outro para 30 dias e outro para 60, era o prazo ali para eles terminarem o projeto. Só que aí três meses foi chegando ali, os caras: “Olha, a gente vai atrasar um pouquinho”, eu disse: “Não, é tranquilo e tal”, e aí o meu cheque sendo descontado, totalmente amador. Aí eu sei que deu quatro meses, o cara: “Olha, vai atrasar mais um pouquinho”, cinco meses, seis meses e nada desse negócio ficar pronto, eu sei que… para encurtar aqui essa história, deu ano do negócio e os caras não conseguiram terminar. E aí eu sei que aí teve briga, teve tudo mais, mas eu perdi o dinheiro e esse projeto ficou engavetado que eu não tinha mais nenhum recurso para, enfim, para conseguir contratar outra empresa e colocar o projeto para frente.Marcelo Szuster: Ou seja, você tinha registrado o domínio de tudo, mas não conseguiu botar nada no ar então nesse tempo?Leandro Vieira: Não consegui, fez o projeto, contratei a empresa e perdi o dinheiro. Aí só que aí nesse meio tempo eu disse: “Bom, enquanto a gente está desenvolvendo esse site aqui eu vou criar um grupo de discussão no Yahoo Grupos”, era até anterior ao Yahoo grupos, o Yahoo tinha comprado uma empresa, acho que é E-groups, era isso aí, .com. E, bom, a gente começou lá um grupo discussão que logo se tornou um grupo assim gigantesco, um grupo de discussão, eu acho que tinha mais de, sei lá, 2 mil pessoas, só sobre discussão de negócios, administração e tudo mais. Aí isso chamou atenção da revista Você S.A, isso aí já em 2001 mais ou menos, e aí eles me convidaram a fazer parte da comunidade que eles tinham criado de grupos de discussão que se chamava Você na Rede nessa época. A gente migrou o grupo para lá e aí esse grupo logo se tornou o maior grupo lá da Você S.A, e sempre tinha algum destaque da revista, eles tinham uma página que eles comentavam sobre essas atividades online deles, e o nosso grupo sempre tinha algum destaque lá. E, enfim, como era um grupo que tinha bastante gente, logo em 2003 eu encontrei outra empresa e voltei para desenvolver esse projeto, ele nasceu em 2004, quando ele nasceu, ele já tinha uma comunidade de pessoas já ligadas ao projeto, que era esse grupo de discussão. Então, assim, foi um projeto que já nasceu com audiência, com vida, com pessoas produzindo, então foi bem interessante esse começo. Ele nasceu realmente como portal em 2004.Vinícius: O modelo de receita do site é através da venda de cursos, é isso?Leandro Vieira: Isso, vamos lá, a gente chega já. Lógico que ele nasceu com aquele conceito que a gente esperava, “Vamos fazer um site da internet, as empresas vão anunciar e pronto, vai ter audiência e a gente vai ficar rico”, e aí durante muito tempo isso foi um modelo super interessante assim para o administradores, não é? Então assim, no primeiro ano, isso lá em 2004, acho que a gente já atingiu uma audiência ali que beirava ali 30 mil pessoas por dia, então já tinha assim uma audiência forte, não é? E (inint) [00:09:20].Vinícius: Só para ver se eu entendi. O pessoal então… é como se fosse um portal que o pessoal publicava artigos diversos, é como uma espécie de blog assim, e aí vocês faziam anúncios e aí funcionava, nessa época, no lançamento desse jeito?Leandro Vieira: Isso. Então assim, um portal totalmente focado em negócio, em administração, marketing, finanças, estratégia, tudo que tem a ver com essa nossa área de administração e em cima disso aí tinha uma audiência, uma audiência relevante, as empresas entravam em contato com a gente e passavam ali a anunciar os seus produtos, durante muito tempo isso foi a única fonte de receita. Aí até que começou essa história de querer fazer uns testes com o mundo físico, analógico, a gente queria aproveitar essa audiência, em 2009, eu acho, que a gente criou uma revista impressa, a gente fez totalmente aquele movimento inverso, enquanto as publicações estavam indo para o digital a gente foi para o mundo das publicações impressas. A gente criou uma revista, foi um sucesso muito grande, só que assim, o negócio de uma revista impressa ele é totalmente complicado, totalmente diferente dessa natureza digital que ela é mais simples, ela é mais rápida, ela é fluida. E, enfim, a gente criou essa revista aí, mas foi uma dor de cabeça, assim, tinha que contar com a competência de várias pessoas, de vários agentes, Correios, a gráfica.Vinícius: Empresa de logística, não é? É praticamente uma empresa de logística.Leandro Vieira: Isso. E assim, mas foi uma dor de cabeça, mas foi um aprendizado muito bom para a área de conteúdo, então a gente evoluiu muito na produção de conteúdo a partir da experiência com a revista que, então assim, no fim das contas foi uma experiência positiva também, mas a gente matou acho que essa revista impressa uns dois ou três anos depois assim, foi…Marcelo Szuster: Leandro, só um comentário, achei curioso porque para quem… você tem 40 anos que você disse, não é? Eu estou com… 40 ou 42 que você disse, não é, alguma coisa assim.Leandro Vieira: 42.Marcelo Szuster: 42. Eu estou com 46. Então eu acho engraçado é porque quem olha isso agora não entende, por exemplo, como é que era revolucionário fazer esse portal em 2000, porque assim, para um cara dessa geração atual ele fala: “Poxa, fazer um portal onde você tem um conteúdo, é óbvio”. E eu estou achando engraçado, por exemplo, na minha época, quando eu estava na faculdade, que um professor tinha que dar um livro para a gente, como os livros eram sempre em inglês, eu fiz engenharia, a solução que o professor tinha, ao invés do e-mail, era botar o livro em lugar para a gente tirar xerox.Leandro Vieira: Era, isso aí era… a nossa realidade era essa, não é, cara.Marcelo Szuster: É, ficava lá. Na faculdade tinha o tal do Xerox do Japonês que ficava lá, sabe, os livros.Leandro Vieira: É, eu lembro até do cheiro…Marcelo Szuster: E não tinha jeito de falar assim…Leandro Vieira: …Dessas apostilas aí.Marcelo Szuster: É, e não era nem uma pirataria digamos assim, porque você não conseguia comprar o livro, então…Leandro Vieira: Não tinha, não tinha como.Marcelo Szuster: …Era o único jeito. Então eu só achei curioso isso assim, quando o pessoal fala em exponencial parece que é uma abstração muito exagerada, mas você vê assim, hoje em dia é inconcebível a informação não está disponível naquele exato momento, um professor… Para você ver, com esse negócio do Coronavírus os meus meninos estão em casa e o pessoal já está começando a dar aula online. Entendeu? Você que a mudança é gigante.Leandro Vieira: É total. Não, mudou tudo.Marcelo Szuster: Eu acho interessante porque para quem nasce nessa era ou está imerso, fica muito estranho. Você primeiro tentou fazer uma contratação que deu errado, porque o pessoal não te entregou o software e depois, de uma certa forma, você fez quase que um MVP com uma ferramenta diferente, que foi os grupos lá no Yahoo.Leandro Vieira: Sim, é verdade. Eu nunca tinha me dado conta, nunca enxerguei dessa forma, eu estava trabalhando em paralelo ali, eu disse: “Enquanto esses caras fazem isso eu vou tocar”, e uma coisa que me desenvolveu muito essa questão de grupo de discussão. E hoje em dia tudo bem, a gente tem várias redes sociais, tem Facebook, tem grupos dentro do Facebook e tudo mais, mas é uma coisa que as pessoas nem percebe que dentro de um grupo desses, um grupo de discussão, uma página no Facebook a pessoa pode desenvolver ali um estilo de liderança, competências empreendedoras e tudo mais dentro do um ambiente virtual. Então é muito interessante isso e eu comecei a observar também que essa questão de produzir artigos é uma coisa que também auxilia muito no aprendizado, no desenvolvimento do profissional, quando você passa… “Eu vou escrever sobre alguma coisa”, então primeiro você vai estudar sobre aquilo ali para poder escrever, aí depois você vai refletir sobre aquilo ali, a escrita é um processo também de reflexão e tudo mais e que você acaba construindo um conhecimento que seria impossível de ser construindo se fosse apenas com leitura, com aulas tradicionais, enfim, como a gente está acostumado a aprender no sistema tradicional de ensino, não é?Marcelo Szuster: É, interessante. Se você quiser criar um conteúdo, de fato, relevante você vai ter que se esforçar bastante, compartilhar experiência, e isso vai acabar fazendo com que você tenha que destacar.Vinícius: Algumas pessoas costumam dizer que a melhor forma de você aprofundar o conhecimento em alguma coisa é dar aula sobre aquilo. Então é parecido com o que você falou aí sobre escrever, não é??Leandro Vieira: Com certeza. Na hora que a gente vai preparar uma aula é exatamente isso, você vai ter que estudar, você vai ter que se preparar, você vai ter que pensar como é que você vai passar aquele conteúdo de forma didática, lúdica e tudo mais, é exatamente esse mesmo exercício.Marcelo Szuster: E como é que foi essa transição? Quando você foi do grupo e conseguiu fazer o portal em 2004, não é? O que é que aconteceu dessa segunda vez? Você contratou outro fornecedor? Você já fez diferente em etapas? O que é que aconteceu?Leandro Vieira: Exato. Lógico que tem aquele aprendizado de toda as cagadas que a gente fez antes, então que acaba não repetindo, aí eu contratei uma empresa mais profissional, prestei atenção no contrato, isso é fundamental. A primeira vez era uma coisa muito de boca ali, então tanto é que eu saí e perdi o dinheiro, levei fumo, e na segunda não. Então assim, ficou mais atrelado a prazos, que isso é importante também ter esse estabelecimento de prazos. Então assim, foi uma coisa mais tranquila de se colocar. Lógico que com o desenvolvimento a gente também acostuma muito com essa coisa assim que os prazos raramente são cumpridos, hoje em dia não, no nosso trabalho em si a gente tem prazos bem estabelecidos e a gente consegue, mas quando você trata com fornecedores externos, que não estão dentro da empresa, a nossa experiência mostra que dificilmente os prazos são rigorosamente cumpridos. Então assim, essa transição foi uma coisa mais tranquila, agora assim, toda essa… desde o primeiro dia que eu tive essa ideia até colocar ela de pé e até hoje, não é, isso aí marcou profundamente o meu destino, então assim, a forma, eu mudei completamente assim a forma como eu enxergava a faculdade, eu passei a me dedicar muito mais. Quando eu terminei a faculdade eu disse: “Bom, se eu quero colocar um portal na área de administração para ser uma referência eu preciso aprender administração, não posso ser simplesmente, sei lá, um bacharel em administração e querer dar aula para os outros. Então eu fui me aprofundar mais, fazer um mestrado, voltei para a minha cidade, Porto Alegre, para fazer um mestrado lá na federal do Rio Grande do Sul, comecei a dar aulas também, tudo para me preparar para o desafio de estar a frente de um site que pretendia ser uma referência na área de administração. Então isso é interessante também, assim, o poder que as ideias têm de moldarem ali as nossas escolhas, tudo que a gente vai fazer dali para frente com o compromisso de colocar aquela ideia de pé.Marcelo Szuster: 20 anos de jornada já. E aí então você conseguiu (partir) [00:17:12] o portal e aí você teve incursão aí com a mídia gráfica e aí não deu muito certo, que você disse, porque era um negócio diferente, não é?Leandro Vieira: É, agora assim, eu vou contar assim qual que foi a aposta. Então assim, a gente estava com um modelo em um site muito bom, naquela época a venda de publicidade na internet era completamente diferente da forma como é feita hoje, que eu posso até explicar. Antigamente assim, a gente negociava direto ou com as empresas que iriam anunciar ou com as agências que representavam essas empresas, e era uma coisa assim muito fácil, você tinha o site, você tinha uma defesa do site, enfim, era fácil vender a ideia. Hoje em dia essa venda de publicidade é basicamente feita através de redes, então assim, a gente não conversa mais com ninguém, a gente simplesmente tem o código dessas redes no nosso site e se o site ele é escolhido ali para fazer parte de um determinado cluster que o anunciante vai anunciar a gente acaba recebendo ali a publicidade dentro do site sem nem conversar com ninguém, a maior parte da publicidade que é veiculada hoje nos portais da internet. Então só que assim, enquanto no passado a gente ganhava, sei lá, 20, 30 reais em um CPM, o custo por 1 mil edições de um banner, por exemplo, hoje a gente ganha quatro, cinco reais. Então assim, mudou muito a forma de comercialização de publicidade. E na época que a gente criou essa revista a gente pensou: “Bom, a gente já conhece todas as agências do Brasil, a gente já tem várias contas que anunciam aqui no site, vamos fazer uma revista, a gente já tem os clientes na mão, é só eles passarem a anunciar na revista”, só que aí a gente quebrou a cara porque quem compra a mídia online não é a mesma pessoa que compra a mídia off-line e aí a gente teve que rebolar muito e…Marcelo Szuster: Entendi.Leandro Vieira: …Não conseguia arrumar.Marcelo Szuster: Vocês acharam que ia ampliar a receita quase que automaticamente, (inint) [00:19:07] já estava garantido.Leandro Vieira: É, a gente achava que estava com a faca e o queijo na mão, mas estava só com a faca mesmo.Marcelo Szuster: Ficou sem o queijo para cortar.Leandro Vieira: Exato.Marcelo Szuster: Entendi. E aí teve alguma outra pivotada aí? Ou seja, aí você resolveu depois fechar a revista, não é?Leandro Vieira: Isso.Marcelo Szuster: E o seu modelo ainda era esse modelo de anúncio e pelo que eu entendo…Leandro Vieira: Anúncio.Marcelo Szuster: …Você pegou uma época boa, de ouro aí do anúncio, não é? Que hoje está mudando um pouco.Leandro Vieira: É, e aí começou… Mudou bastante. Em 2013 por aí a gente começou a sentir os ventos da mudança ali nessa área de anúncio, começaram a surgir essa… a publicidade programática, que é através das redes, e a gente começou a sentir ali o cutuco, não é? E aí a gente viu, bom, a gente tem uma audiência relevante, tem muitos usuários cadastrados no site e tal, então assim está na hora de a gente vender alguma coisa para esses usuários, e como a gente já tinha muita experiência na produção de conteúdo eu disse: “Bom, vamos agora fazer uma plataforma para ensinar as pessoas sobre negócios, dentro de uma plataforma de cursos online”. Então a gente criou em 2014 o Administradores Premium, nesse modelo de Netflix, a pessoa assina o Administradores Premium e tem acesso a todo catálogo ilimitado ali dos cursos e programas exclusivos que a gente tem lá dentro. E essa foi a pivotada.Marcelo Szuster: Entendi. Isso em 2014, não é?Leandro Vieira: É, essa foi realmente…Vinícius: E disso aí como é que surgiu o podcast?Leandro Vieira: Antes de fazer o Café com ADM eu participava no GV Cast do Flávio Augusto com o quadro Professor e Empresa. Então toda semana eu pegava assim exemplos de empresas, sei lá, deixa eu lembrar de alguma aqui, bom, teve vários lá, mas eu pegava um exemplo de empresas grandes assim, empresas conhecidas que as pessoas pudessem aplicar nas suas próprias empresas. Então aí teve vários, era um quadro semanal. E aí com essa experiência no GV Cast o próprio Flávio disse: “Olha, Leandro, você tem que criar o seu próprio podcast e tal”. E aí encorajado ali pelo Flávio eu disse: “Vou começar”. Eu não tinha experiência assim também em fazer entrevistas e gerar esse tipo de conteúdo, mas aí comecei a fazer e aí, bom, estou até agora aprendendo, não é, mas a turma te curtido ali o…Vinícius: E você diria que isso tem ajudado a alavancar o Administradores.com?Leandro Vieira: Com certeza, com certeza. Porque assim, o podcast era uma mídia que a gente ignorava até então, a gente achava… assim, eu encarava podcast como se fosse uma mídia do começo da internet assim, como se fossem aqueles grupos de discussão e tal, e a gente sabe que hoje em dia é uma febre, todo mundo tem os seus podcasts, escuta no carro, na academia. Enfim, então a gente acaba, primeiro, gerando uma proximidade maior com o nosso leitor ali do site, com o usuário do site porque, afinal, a gente passar aqui, sei lá, 30, 40 minutos conversando numa conversa. E acaba também atraindo um tipo de usuário que talvez nem conhecesse o nosso site do outro lado, o cara, sei lá, esbarra no podcast através de um Spotify da vida e acaba conhecendo. Enfim, então acaba assim ampliando ali bastante o alcance.Vinícius: E a ideia no Adminisntradores.com é que o aluno faça um curso mais pontual ou ele estabeleça quase como se fosse um currículo assim? Você diria que você chegaria a concorrer até mesmo com cursos aí de graduação mais tradicionais? Como é que é isso?Leandro Vieira: Não, eu acho que não concorre porquê… inclusive assim, eu acho que é um complemento muito importante para a graduação tradicional. Então assim, a gente tem muitos, muitos alunos que são ainda universitários e que acaba tendo um diferencial muito grande a partir dessa participação aí na nossa plataforma, através dos nossos conteúdos. Então eu acho que assim, não existe uma concorrência, existe assim uma complementariedade.Marcelo Szuster: Complementariedade.Leandro Vieira: Existe uma complementariedade, isso, e assim não uma concorrência até porque a gente não confere grau acadêmico, mas todos os cursos conferem ali um certificado de conclusão, que é importante também para o currículo, e acho que é uma experiência bastante interessante. O que eu acho assim, que eu sempre defendi desde o meu tempo de estudante é que nenhum estudante pode se restringir apenas ao conteúdo da faculdade, apenas as cobranças do professor, ele tem que correr muito por fora para poder realmente aproveitar esse tempo de universidade para se tornar um profissional realmente qualificado. Então se ele ficar só na batidinha da faculdade, nos trabalhinhos, enfim, nessa rotina universitária ele vai terminar a faculdade com um período muito rico, que ele pode aproveitar, criar muitas oportunidades de crescimento, mas ele vai terminar, se ele ficar só naquela batida dele vai terminar, não sei, vai ser só um recém-formado, e existe a possibilidade de aproveitar realmente esse tempo para sair da faculdade já um profissional excelente.Vinícius: Ao longo desses aí, vamos dizer assim 20 anos de estrada de vocês aí, o que é que você diria que foram as principais transformações aí digitais que impactaram para vocês, que eram duas que mais… vocês tiverem que mudar bem assim o modelo de negócio de vocês, vocês tiveram que fazer novos investimentos? O que é que mudou, por exemplo, sei lá, pensando aqui a adoção massiva de mobile deve ter mudado bastante para vocês, não é, imagino, algumas coisas desse tipo.Leandro Vieira: É legal você falar disso porque todo o surgimento de uma nova ferramenta no começo a gente sempre encarava com um certo temor, assim, por exemplo, surgiu o Orkut, “E agora o que é que vai ser da gente, se as pessoas vão ficar lá dentro de uma rede social debatendo por lá e não vão mais vir para o nosso site para ler os conteúdos”, e na verdade a gente sempre teve um crescimento muito grande a partir do surgimento de cada plataforma dessas. Então rede social foi uma coisa assim que isso aí revolucionou a humanidade como um todo, mas assim, foi uma coisa muito positiva acho que para todos os veículos de comunicação. O celular também, a adoção de celulares isso aí forçou a gente também a se adaptar, isso aí tem que estar sempre de olho porque acaba que todo portal acaba dependendo muito, por exemplo, dos buscadores, não é, de Google, de SO e tudo mais, então você tem que estar ligado nisso para o seu site estar sempre na última tendência, o que é que está sendo valorizado pelos buscadores, principalmente pelo Google, não é? Então é uma coisa que a gente tem sempre estar de olho no que está acontecendo para se preparar aqui para aproveitar essas ondas para crescer.Marcelo Szuster: Leandro, uma coisa que eu tenho curiosidade é o seguinte: nesses 20 anos aí explorando esse conteúdo para o Administradores, como é que você vê a evolução do conteúdo desejado pelo público? Assim, aqui o tema do podcast é Business Agility e a gente sabe isso traz uma mudança enorme nas empresas em liderança, estrutura organizacional. Você tem percebido uma tendência aí também de procura por esses novos temas ou continua ainda sendo a formação mais tradicional? Como é que você está enxergando isso?Leandro Vieira: Com certeza. Isso aí a gente pode observar, até no Analytics a gente consegue ver o volume de buscas por esses temas, que tem aumentado cada vez mais e que é uma coisa interessante, que a gente vê que as pessoas estão se interessando, querendo se aprofundar naquilo que realmente faz a diferença hoje em dia. Então e a gente procura assim em todos os nossos conteúdos produzir de olho no que está lá na fronteira do conhecimento naquele assunto. Então isso é uma coisa extremamente importante, é o que norteia toda a nossa produção de conteúdo é isso. Então assim, a gente tem muitas referências internacionais, a gente está de olho no que é produzindo dentro das universidades, das principais escolas de negócios do mundo. Então tudo isso para poder entregar realmente o melhor conteúdo que faça diferença, para quem chega naquele conteúdo ele vai ler ou vai assistir e diz: “Bom, isso aqui eu vou aplicar na minha empresa e vai ser uma coisa realmente transformadora”.Vinícius: Tem observado alguma coisa que seja tendência, uma novidade grande aí que esteja se tornando uma tendência nessa área de administração e de gestão?Leandro Vieira: Eu tenho observado que as pessoas têm buscando muito sobre, por exemplo, frowth hacking é uma coisa que para a gente disparou ali, as pessoas têm buscado muito sobre isso e a gente até tem poucos conteúdos nessa linha, é uma coisa que a gente vai começar a produzir mais. O que mais? A área de liderança para a gente assim é uma coisa interessante, a gente vai falar aqui de liderança que é um tema já secular, mas é uma coisa que é muito procurado dentro das empresas, porque a gente observa que existe, na verdade, uma carência de líderes e isso no mundo inteiro. Então a gente produz também muito conteúdo em cima disso, de formação de liderança. O que mais? Muita coisa também sobre métodos mesmo, sobre gestão de projetos, isso é uma coisa que é muito procurada ali no Administradores, sobre finanças empresariais. Eu sei que está muito na moda agora é a questão das finanças pessoais, que a gente vê esses youtubers que estão fazendo um bom trabalho em cima disso, mas a gente entrega ali no Administradores mais um conteúdo voltado para a área empresarial mesmo, finanças empresariais, que também é uma carência, eu acho, no geral, para o empresariado brasileiro. Basicamente isso aí.Marcelo Szuster: Cara, e com essa mudança brusca aí com o Covid. Você disse que acompanha algum Analytics, o que está acontecendo no site. Você já observou alguma mudança assim ou de mais procura ou de procura sobre um determinado tema ou não deu ainda para observar isso?Leandro Vieira: Com certeza. Olha só, quando a gente teve essa primeira semana de quarentena, que foi aquela coisa que todo mundo foi pego de surpresa, a nossa audiência caiu naquela semana porque a gente não tinha assim, a nossa redação não estava de olho em Covid, em Coronavírus, nada disso, e aí a gente diz: “Bom, agora a gente vai ter que ajudar aqui os profissionais e as empresas nesse momento”. Então a gente começou a produzir conteúdo sobre a questão de home office, produtividade, finanças, específicos para essa época do Coronavírus e aí a nossa audiência já deu um salto. E assim, é o tema do momento, está todo mundo preocupado, enfim, com tudo, com os rumos que a nossa economia vai tomar, com a saúde, enfim, e a gente tem procurado contribuir bastante em cima disso.Marcelo Szuster: E qual que é a sua visão de futuro aí para esse portal? Você imagina chegar onde assim?Leandro Vieira: Na verdade, assim, é aquela coisa, a gente está sempre construindo o futuro, e é interessante quando tem uma… assim, quando a gente tem esses momentos de adversidade, que é o que todo mundo está passando agora, quando assim, a realidade começa ali a nos espremer ali nas cordas, e a gente começa então a ter algumas ideias e aí surge algumas inovações. Então, por exemplo, a gente tinha alguns planos aqui no Administradores de internacionalização, isso planos antigos, para você ter ideia eu comprei o domínio .com, que eu não tinha, eu tinha só o .com.br, isso foi lá em 2009 ou 2010, eu nem lembro, já faz tempo, eu disse: “A gente vai internacionalizar, vai produzir conteúdo e espanhol e tudo mais, pegar a América Latina e tal, tudo”, e nunca fez isso porque aí ficava naquela zona de conforto, “Não, está aqui. A gente tem muita coisa para conquistar no Brasil e tal, tudo mais”. E aí agora nessa história dessa crise toda eu disse: “Bom, e se a gente começasse agora a fazer isso, não é?”. Então a gente já começou, começamos agora essa semana a traduzir alguns dos nossos cursos, vamos, fazer alguns pilotos de lançamento no exterior e vamos apostar algumas fichas nessa internacionalização, estamos dando os primeiros passos agora.Marcelo Szuster: É interessante, porque a crise faz a gente sempre se movimentar mesmo, não tem jeito, acaba que… a gente já observou isso em outras crises também, é claro que essa crise é de uma dimensão acho que maior do que tudo que já aconteceu porque ela é sistêmica, é igual eu acho que o Paulo Guedes falou, que caiu um meteoro de repente.Leandro Vieira: É, mas eu acredito que, assim, é lógico que muita gente vai sofrer, muitas empresas vão sofrer, mas a gente vai aprender muita coisa positiva diante desses desafios que a gente está enfrentando agora, e um deles é que a gente consegue, por exemplo, trabalhar a distância. Então assim, a gente ficava muito preso naquele paradigma do trabalho tem que ser presencial, as pessoas estão chegando atrasadas e não sei o que, e quando tem um momento como esse, eu disse agora, está todo mundo em casa, e aí, a gente vai parar de trabalhar, não vão bater o ponto lá em casa, enfim, não é? E a gente vê que é possível sim e aí todas essas competências elas são fundamentais, de liderança, de gestão de equipe mesmo que a distância, então a gente começa a desenvolver outras habilidades que a gente nem sabia que a gente tinha ou que precisava ter.Marcelo Szuster: Isso é interessante mesmo, quebra um tabu grande, não é, cara? E engraçado porque as lideranças vão ter até que aprender a passar a confiar mais nos liderados porque ainda existe muita empresa que micro gerencia demais os funcionários e aí tem gente que está tentando emular esse mesmo modelo remoto, só que vai ser mais difícil do que eu acredito, sabe? As pessoas vão acabar tendo que aprender a confiar mais também.Leandro Vieira: Com certeza. E eu acho isso fundamental. Então nesse aspecto vai ser muito positivo assim todo esse perrengue que a gente está passando agora.Marcelo Szuster: É engraçado porque as empresas elas foram obrigadas a fazer o trabalho remoto e aí só que muita empresa ela tem aquele hábito de micro gerenciar as pessoas, não é?Leandro Vieira: É, exatamente.Marcelo Szuster: E ficam tentando emular esse modelo agora, fica meio desesperado, eu não estou vendo mais o cara, então o que é que…Leandro Vieira: É, não sabe o que é que o cara está fazendo, está dormindo e eu não estou vendo.Marcelo Szuster: É, o cara está lá de pijamão fazendo nada. E aí tem gente, é engraçado, tem gente que ainda até quer emular um modelo, “Será que eu ligo para ele toda hora? Boto uma câmara filmando ele?”, só que a verdade é que vai ter que aprender a confiar na…Leandro Vieira: Confiar.Vinícius: Entra de surpresa lá na sala virtual de bate-papo para ver se está todo mundo.Marcelo Szuster: Toca a campainha na casa do cara, “Cheguei. Cadê você?”.Leandro Vieira: É verdade. Mas eu acho que acaba surgindo também um sentimento de união dentro da empresa, isso, lógico, depende da empresa, depende do líder e aí noto um comprometimento maior das pessoas, todo mundo sabe que está no mesmo barco, se aquele barco afundar, enfim, não tem outra alternativa para muitas pessoas. Então, assim, acaba sendo positivo isso.Marcelo Szuster: Exatamente. Não, o que eu percebo muito é isso, como é sistêmico, está todo mundo no mesmo barco, todo mundo tem interesse em ajudar e em compreender melhor o outro.Leandro Vieira: É verdade.Marcelo Szuster: Agora não tem mais jeito de alguém ficar com raiva que o call está falhando ou que fez um barulhinho de bebê.Vinícius: Criança.Marcelo Szuster: É, fez um barulhinho de bebê ali, porque está todo mundo acho que no mesmo barco, cara. Isso eu acho assim, tentando olhar com otimismo, talvez as pessoas criem mais empatia pelas outras e fiquem um pouquinho mais solidárias depois disso tudo.Leandro Vieira: Com certeza. Com certeza eu acho que vai haver assim uma evolução muito grande, então… e o ser humano, assim, é o animal mais adaptável que existe, não é? E a gente vai se adaptando, a nossa realidade agora é essa e a gente tem que de desse limão aí tentar fazer uma limonada e continuar a vida, não é?Marcelo Szuster: É isso aí. Cara, então valeu demais, viu, Leandro. Obrigado aí pela participação.Leandro Vieira:  Valeu, Marcelo. Valeu demais, eu gostei demais. Eu acompanho aqui vocês direto, cara. Eu estou aprendendo com vocês. Parabéns aí pelo trabalho que vocês têm desenvolvido e tem contribuído muito aí com as pessoas. E legal assim, a gente tem divulgado bastante no Administradores também o trabalho de vocês e faço questão de divulgar ainda mais aí para que as pessoas aprendam sobre os métodos ágeis de gestão, isso é extremamente importante, e o trabalho que vocês estão fazendo aí é uma referência. Parabéns.Marcelo Szuster: Obrigado.Vinícius: Obrigado, viu, Leandro.Marcelo Szuster: A gente fica muito feliz com isso porque uma das missões lá da DTI é disseminar o agilismo, é isso que a gente tenta fazer com esse podcast. Um abraço então.Vinícius: Abraço.Leandro Vieira: Valeu, galera. Um abração.Marcelo Szuster: Falou, pessoal. Um abraço.
: :
os agilistas

#71 Café com Leandro Vieira

Ficou com dúvidas?

contato@dtidigital.com.br
R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010