Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

SoundCloud
Spotify
iTunes

Marcelo Szuster: Bom dia, boa tarde, boa noite. Esse é mais um episódio de Enzimas. Breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. No episódio de hoje eu queria falar um pouquinho sobre autonomia. Eu queria ecoar uma pergunta que todos os clientes – principalmente aqueles que vêm de uma cultura bem tradicional – fazem. “Mas a pessoa tem autonomia para fazer o que quiser?” Ou “a pessoa tem uma autonomia irrestrita?”. Essa reação é natural, porque parece que a gente só consegue olhar as coisas em polos opostos. Ou a gente está em uma cultura de autonomia completa ou está em uma cultura de não ter autonomia. Eu sempre brinco com quem pergunta isso que ninguém tem autonomia irrestrita – em nenhuma dimensão da sua vida – você sempre tem uma autonomia que é restrita, no contexto em que você está atuando. Então, isso pode parecer óbvio para alguns. Mas o primeiro passo para se procurar autonomia é saber que está é na verdade restrita. E por que a gente está falando disso? Porque autonomia é uma das coisas mais importantes para que as organizações de fato fiquem ágeis. Os líderes realmente têm que conseguir dar autonomia para as pessoas. E para cada time. Eles têm que entender que cabe a eles ao invés de tentar fazer prescrições exatas do que que os times vão fazer, cabe a eles na verdade fazer, criar algumas restrições que orientarão os times nos limites que eles podem atuar. Então, a autonomia não é restrita nesse sentindo. Existe o conceito do Snowden – que é um dos caras que fala de complexidade – de enabling constraints, que é muito importante. É algo que parece paradoxal, que você tenha uma restrição habilitadora. Mas a verdade é que se você pega um time e dá autonomia sem ter algumas restrições que se traduzem como algumas regras mais gerais, se traduzem como valores a serem seguidos, objetivos de curto prazo por exemplo. Se você não tiver isso, o time fica completamente perdido. Mas se o time tiver essas restrições, essas restrições são habilitadoras porque a partir do momento que o time observa essas restrições e ainda tem muito grau de liberdade para raciocinar e tomar uma série de decisões, ele fica verdadeiramente autônomo e começa a decidir criar.

: :
os agilistas

ENZIMAS #05 Autonomia irrestrita?

Tá na dúvida?

contato@dtidigital.com.br

R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010