Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

SoundCloud
Spotify
iTunes
Marcelo: Bom dia, boa tarde, boa noite. Esse é mais um episódio de Enzimas, breve reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. Pessoal, hoje eu gostaria de falar um pouquinho sobre humildade. É interessante, porque quando você olha a definição de humildade, ela é uma virtude caracterizada pela consciência das próprias limitações. Ou seja, uma pessoa humilde é uma pessoa que tem essa virtude de entender as suas próprias limitações. E por que eu queria falar isso aqui nesse Enzimas? Porque eu acredito assim, que a humildade, hoje, é quase que imprescindível para quem entende o mundo em que a gente está vivendo, ela é uma virtude quase que imprescindível, e por quê? Tem várias formas de se analisar isso, mas eu queria trazer aqui dois insights, digamos assim. Um, é esse entendimento de que o mundo é complexo, esse entendimento de que as coisas estão interligadas, e que a gente opera ali na região do complexo, já falamos muito sobre (inint) [00:01:06] aqui no podcast, em outros episódios, e que nesse mundo as melhores práticas, ou as boas práticas, não existem de antemão, o que existe são práticas emergentes, então essa virtude de você saber suas limitações é fundamental para que você possa realmente aceitar ter uma postura mais (de estruturação desse mundo) [00:01:29] e uma postura mais de aprender rápido, do que uma postura de ter certeza de tudo. Outra forma de enxergar isso, que eu acho interessantíssimo, é que mesmo quem tem sucesso, mesmo aqueles que têm bastante sucesso profissional, sejam líderes, ou sejam, mesmo não atuando em posições de liderança, mas que tenham bastante sucesso, é compreensível que eles possam pensar sobre esse sucesso e isso acabar, digamos assim, reduzindo a humildade deles, ou não acreditando, na verdade, que eles tenham essas limitações, ou que sejam muito mais, muito acima da média, e que não tenham, na verdade, as limitações que a maioria das pessoas têm. Mas aí eu lembro de um outro livro, que eu li há muito tempo, que fala uma frase que eu nunca me esqueço, em inglês a frase é assim: “(Performance is bounded, success is unbonded) [00:02:19]”, então o que o autor está falando, na verdade, é o seguinte, o desempenho dos seres humanos é (bounded) [00:02:29], ele é limitado, não tem alguém que tem um desempenho que seja dez vezes, 20, mil vezes, maior do que o outro. Você tem, mais ou menos, (uma coisa de distribuição ali) [00:02:38] e você fica ali, agora, o sucesso é (unbounded) [00:02:44], o sucesso é ilimitado, e por quê? Porque o sucesso está muito mais na nossa rede, do que na gente mesmo, não é? O sucesso é muito mais como as pessoas acreditam que a gente é, do que propriamente qual é o nosso desempenho específico. Isso é tanto mais verdade em trabalhos que sejam colaborativos, que exigem um relacionamento, e que exigem até sorte, exigem time, exigem um tanto de coisa. Então quando você pensa nisso, que você vive em um mundo que é complexo, que as coisas estão interligadas, que você não sabe exatamente o que vai acontecer, e soma isso pensando que, individualmente, mesmo aquilo que você pode considerar sucesso não significa necessariamente que esse sucesso seja porque o seu desempenho é tão superior ao que você saiba, tão mais do que os outros, parece quase que inevitável que você seja humilde e coloque esse virtude em seu favor.
: :
os agilistas

ENZIMAS #49 Humildade Inevitável

Tá na dúvida?

contato@dtidigital.com.br

R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010