Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

Soundclound
Spotify
iTunes
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite. Este é mais um episódio de Enzimas: breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. Pessoal, hoje eu queria falar um pouquinho sobre uma questão que eu acho que assola muitas empresas que querem fazer a transformação digital, que é sobre como reduzir os custos dessa transformação ou como reduzir os custos de cada squad. As empresas sempre vão pensar assim: poxa, eu vou ter que partir vários squads, cada squad vai ser um investimento considerável, como é que eu faço para reduzir esses custos? É curioso que a primeira ação instintiva que existe para reduzir os custos, eu diria que são dois tipos de ações instintivas e por instintivo eu quero dizer o instinto que está dentro de cada um, advindo da gestão tradicional. O instinto é, primeiro, saber exatamente tudo que tem que ser feito, para poder evitar que se faça alguma coisa à toa, em teoria, e, segundo, controlar muito a produtividade, a senioridade de cada papel do time, fazer quase que um micro gerenciamento aí para saber se aquele time realmente está sendo o mais produtivo que poderia, se ele está produzindo todos os pontos que poderia produzir. É curioso, porque do ponto de vista do agilismo, eu diria que esse instinto acaba indo na direção contrária do que, na verdade, seria o mais importante para se reduzir o custo. O mais importante para se reduzir o custo de um squad seria priorizar bem e experimentar rapidamente essa priorização. Então, vejam só, por que priorizar bem é mais importante, pode ter um efeito de ordem de grandeza maior do que tentar micro gerenciar um squad, do que tentar aumentar a produtividade dele? Simplesmente porque ao priorizar bem você pode até deixar de fazer coisas inteiras que você achava que deveria fazer. Então, se você combina priorização com experimentação, você dá chance de descobrir aquilo que o negócio precisa. Vejam, isso que eu estou falando é até repetitivo, no sentido de que isso é a essência pura do agilismo, mas é curioso que muitas vezes a gente estuda o agilismo, a gente quer aplicar o ágil, a gente cria squad, mas, na hora de começar uma frente nova, um squad, por exemplo, sem querer, por isso que eu digo instintivamente, a gente cai nos mesmos vícios de sempre, que são: eu preciso detalhar melhor o que eu vou fazer, eu preciso micro gerenciar esse squad, eu preciso saber que está todo mundo trabalhando com uma produtividade altíssima etc. Eu nem estou dizendo que você não vai querer ter parâmetros de produtividade, apesar de a gente saber que medir produtividade em software é bastante difícil, mas é claro que você vai ter que ter alguns parâmetros aí para poder fazer comparações, saber se aquele time está entregando em um ritmo bom, mas eu insisto: o que ganha o jogo é priorizar bem, experimentar rápido, aprender rápido.
: :
os agilistas

ENZIMAS #57 Aprenda a priorizar para reduzir custos