Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

SoundCloud
Spotify
iTunes
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite. Este é mais um episódio de Enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização.M2: Pessoal, no Enzima de hoje eu gostaria de falar de um tema que a princípio parece até repetitivo, parece até desnecessário, mas hoje mesmo, de manhã eu estava entrando no site da Harvard Business Review e tinha lá em destaque um artigo de um consultor falando sobre como é importante que um líder saiba fazer boas perguntas, como isso as vezes é muito mais importante do que ter respostas. E por que eu falo? É um tema que já deveria estar superado, quem entende o novo papel de um líder nesse ambiente muito mais instável em que a gente vive, quem entende de fato o mundo em que a gente vive, sabe que um líder não tem a menor condição de ter todas as respostas. Mas se isso está em destaque no site é porque de alguma forma é difícil superar isso, então parece que vale a pena repetir, vale a pena enfatizar. Então lá é interessante que o autor dá tanto esse argumento, digamos assim, quase que básico de que um líder ao entender o mundo em que ele está automaticamente deveria perceber que obviamente ele não terá todas as respostas, se ele realmente compreende esse mundo VUCA, ou mundo BANI, o nome que quiser dar, isso já seria motivo suficiente para um líder entender que ele passa realmente a ter que fazer boas questões. Mas tem outros dois aspectos interessantes ali também, sabe? Que também sempre valem ser repetidos. Quando um líder faz perguntas, ele demonstra vulnerabilidade e quando ele demonstra vulnerabilidade, a mensagem para as pessoas para as quais aquele líder está sendo vulnerável é que ele confia naquelas pessoas e que ele é humano também. E aquelas pessoas então vão passar a confiar muito mais naquele líder e o relacionamento ali vai ser muito mais profundo, você tem a chance de estabelecer uma relação de confiança muito maior, que é vital para grandes times e obviamente que o líder faz parte do time, ele não é alguém que está fora do time, ele faz parte do time. E outra coisa é que quando um líder faz perguntas, ele está criando um ambiente de curiosidade, ele está criando um ambiente de aprendizado, que é o que as empresas precisam ser, precisam ser empresas que aprendem continuamente. Então é isso, é um tema que parece óbvio, que parece repetido, mas aparentemente os líderes ainda preferem ficar na sua zona de conforto, fazendo micro gerenciamento, o que é muito mais difícil com certeza. Fazer boas perguntas, demonstrar vulnerabilidade e criar esse ambiente de aprendizado.
: :
os agilistas

ENZIMAS #86 – Boa liderança é fazer boas perguntas

Tá na dúvida?

contato@dtidigital.com.br

R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010