Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

SoundCloud
Spotify
iTunes
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite. Este é mais um episódio de Enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização.M2: Pessoal, no Enzimas de hoje vim trazer mais uma reflexão que tem um pouco de inspiração no (inint) [00:00:18], mas também coisas que a gente observa no dia a dia. Tem um momento no livro que ele fala sobre o poder dos mercados, no sentido da boa alocação de recursos e de fazer as pessoas ou as entidades gerarem valor. Claro, para isso tem que ser um mercado competitivo, etc. Em que contexto que esse autor cita isso? Ele mostra como que o que ele chama de funções de staff nas empresas, principalmente nas burocracias, acabam se tornando monopólios de uma determinada atividade, não tendo nenhum tipo de competição e de preocupação em elevar o nível de atuação e servir a quem eles deveriam servir. É muito comum em burocracias você ter RH, departamentos de compras, etc, que acabam fazendo otimizações locais, olhando muito para as próprias métricas, para os próprios indicadores internos e não olhando realmente pro valor que ele está agregando para quem está usando o seu serviço. Isso é super comum e um motivo é o monopólio. O autor cita exemplos de organizações que permitem que certos serviços sejam terceirizados. Então, essas células que servem aos clientes podem contratar um serviço de RH interna ou externamente e isso cria uma competição saudável. Há um outro jeito de enxergar isso – uma coisa que a gente acredita muito na própria DTI. Da mesma forma que os líderes devem ser servidores, remover os impedimentos de quem está tentando gerar valor e dar espaço para que aconteça a geração de valor, essas funções de staff, que na DTI a gente fala que estão mais no centro da empresa, servindo a periferia – que é aquela que está em contato com o cliente -, deveriam se definir como organizações servidoras ou como funções servidoras ou o nome que se quiser dar, no sentido que elas devem participar dessa remoção de impedimentos para quem está tentando gerar valor. Isso é uma forma de se enxergar muito melhor, porque evita que você foque somente nesse ótimo local, no seu umbigo, no que é importante para você e esqueça que a missão inicial de qualquer organização de staff está no mesmo jogo da empresa. Esse jogo da empresa é gerar valor para os clientes e criar um ótimo ambiente para que isso possa acontecer para todos os funcionários. Então se as organizações não têm competição ou se elas enxergam como entes especiais que podem se dar ao luxo de trabalhar só nas condições que elas definem, elas nitidamente não estão prestando um bom serviço para quem está consumindo aquele serviço. E eu diria que as próprias pessoas que estão ali dentro estão em uma trajetória muito ruim, porque elas não fazem parte, no final das contas, dessa dinâmica de crescimento, de geração de valor, de evolução contínua, que você encontra em uma grande organização.
: :
os agilistas

ENZIMAS #66 Funções internas também devem ser servidoras

Tá na dúvida?

contato@dtidigital.com.br

R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010