Saiba tudo sobre cultura ágil pelos experts da dti.

Ouça e acompanhe nas plataformas abaixo.

SoundCloud
Spotify
iTunes
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite, esse é mais um episódio de enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização.Alexandre Azeredo: Bom dia, boa tarde, boa noite, meu nome é Alexandre Azeredo, eu sou gerente de tecnologia da Amor e Energia, Amor e Energia é uma empresa de energia fotovoltaica que ela fabrica usinas, opera essas usinas e entrega essas usinas no estado de Minas Gerais. A Amore começou sua operação aproximadamente dois anos atrás e ela precisou fazer uma série de implementações de sistemas de montagem de infraestrutura de tecnologia própria e para que ela conseguisse entregar essa energia que ela fabrica e ela entrega, ela precisava de alguns sistemas e aconteceu de a gente ter que fazer uma série de implementações desses sistemas em paralelo e para que a gente conseguisse fazer essas implementações, uma abordagem tradicional não ia funcionar, a gente tinha um tempo muito pequeno e curto para que a gente fizesse todas essas implementações, então partimos para uma abordagem ágil de projetos para que a gente conseguisse parelizar e também para que a gente conseguisse fazer pequenas entregas para que o negócio pudesse começar operando todos esses sistemas que eles eram fundamentais para que o negócio pudesse fazer sua parte comercial, de operações, marketing, então a gente partiu para essa abordagem como MVP’s em cada um desses grandes marcos, cada um desses grandes projetos com entregas de valor continua e foi interessante observar que no princípio o que o negócio queria, era de fato uma abordagem mais Waterfall em que a gente teria uma grande entrega e a gente conseguiu, a medida que o tempo passava com esses pequenos projetos entregues, com essas pequenas sprints mostrar que uma abordagem ágil ela era muito mais rápida, entregava muito mais valor e ela entregava coisas que tinham muito mais sentido e além de tudo, o negócio não precisava ter uma longa espera para que tivesse um produto para que ele pudesse operar, uma vez que cada uma dessas entregas era um produto viável e ameida que a gente foi implementando, a mudança de mindset aconteceu de forma muito natural, então hoje a nossa camada gestora ela não consegue entender, conceber a ideia de um projeto acontecendo com uma única entrega em um tempo muito longo, então essa mudança foi bastante interessante e ela foi bastante perceptível uma vez que a gente fez todas essas pequenas entregas, então se a gente pudesse dar uma dica baseada na nossa experiência aqui na Amore é de que, você que está querendo mudar de fato o mindset da sua empresa, a ideia é que comece pequeno, comece com um projeto pequeno dentro da T.I, a T.I normalmente ela é orientada projetos, então fica mais fácil você tem uma série de projetos que você tem no seu (pai) [00:03:26] que você precisa implementar, então pega um projeto desse e fala: “Esse projeto aqui a gente vai utilizar uma abordagem ágil”, e começa a medir, ver o que a área de negócio acha, tenho certeza que eles vão gostar, vai ser uma experiência boa, você no mínimo vai ter uma aprendizagem enorme e vai conseguir fazer o uso das suas lições aprendidas para que você no próximo projeto consiga implementar ele de forma mais rápida gerando mais valor ainda e conseguir disseminar mais essa mentalidade ágil e a medida que você consegue disseminar essa mentalidade a área de negócio vai perceber e  os outros decisores das outras áreas vão perceber que isso de fato tem valor e fica mais fácil fazer essa implementação, então é isso gente, obrigado, um abraço a todos.
: :
os agilistas

ENZIMAS #77 Comece pequeno – Alexandre Azeredo

Tá na dúvida?

contato@dtidigital.com.br

R. Antônio de Albuquerque, 330 – 14° andar
Savassi, Belo Horizonte – MG, 30112-010